Permalink

0

Transtorno do pânico pode levar à depressão?

O transtorno do pânico é um distúrbio psicológico que faz parte dos transtornos de ansiedade. Sua principal característica é ocorrer de forma inesperada, causando pavor intenso. Porém, será que ele pode ocasionar mais algum problema? Saiba se o transtorno do pânico pode levar à depressão ou não.

Entenda mais sobre esse distúrbio e veja o que ele pode ocasionar na vida do paciente.

Quando ocorre o transtorno do pânico?

Comumente chamada por síndrome do pânico, porém o termo utilizado pelos profissionais da saúde é transtorno do pânico. Segundo os estudos sobre o caso, não há um motivo específico que determina o aparecimento do mal. Inclusive, uma de suas características é acontecer sem aviso algum.

 

Ou seja, quando há um motivo, como um assalto ou o falecimento de um ente querido, não caracteriza o transtorno. Essas situações são normalmente estressantes e acabam causando alterações nervosas no indivíduo.

 

Um dos indicativos de transtorno do pânico é o medo recorrente de que aconteça uma nova crise. Durante esses períodos a pessoa sente que está perdendo o controle de si mesma. Por isso, surge a sensação de morte iminente, sufocamento e a certeza de que enlouquecerá.

O transtorno do pânico ocorre quando a pessoa apresenta esses sinais, tendo ainda: tontura, taquicardia, suor excessivo, enjoo e dor ou aperto no peito. Por não saber controlar a ansiedade gerada por esse quadro, o indivíduo acaba evitando lugares fechados ou muito abertos e aqueles em que manifestou a crise. Em quadros mais graves o paciente evita, até mesmo, sair de sua casa.  

Transtorno do pânico pode levar à depressão?

As pessoas que passam por casos de pânico acabam tendo muitos momentos de nervosismo e estresse em sua vida. Além disso, como tendem ao isolamento, podem desenvolver uma grande sensação de solidão.

Esses fatos, quando ocorrem com frequência, acabam desencadeando um problema de depressão. Não é uma regra, porém ter transtorno do pânico é um agravante para o aparecimento de crises depressivas.

Uma forma para evitar esse desenvolvimento é frequentar a psicoterapia e utilizar tratamentos complementares, como o suplemento natural contra a ansiedade. Além disso, é importante manter a medicação receitada pelo especialista. Dessa forma, o distúrbio é tratado em todos os âmbitos, o que impede a sua evolução.

O transtorno do pânico, quando não cuidado devidamente, pode originar outros males, além da depressão. Entre eles estão: o Transtorno de Estresse Pós-Traumático, Transtorno de Ansiedade Generalizada e o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC).

O que fazer para que o transtorno do pânico não se desenvolva?

Agora que já sabe que o transtorno do pânico pode levar à depressão, surge a dúvida: o que fazer para evitar isso? A melhor forma é a manutenção constante do distúrbio. Logo, a pessoa deve manter as visitas ao psiquiatra enquanto estiver em tratamento. Deve, ainda, fazer as sessões de terapia com seu psicólogo de confiança.

Dessa forma, os fatores que levam à depressão, como o excesso de ansiedade e o isolamento, são controlados. Assim, o paciente consegue ter uma vida ativa e completamente normal.

Para potencializar o seu tratamento, conte com os suplementos naturais contra a ansiedade. Eles não apresentam efeitos colaterais a ajudam a evitar crises depressivas, regulando o seu humor. Experimente e veja a diferença.

 

Deixe uma resposta

campos obrigatórios estão marcados * .